Como trabalhamos

A decisão de procurar um psicólogo/psicanalista, por vezes é permeada de fantasias. Tais fantasias remetem ao estigma social da loucura – “Psicólogo é coisa de maluco”. No entanto, isso precisa ser desconstruído, pois isto não corresponde à realidade.

Em linhas gerais, quando uma pessoa procura por um psicólogo ela apresenta uma queixa ou um sintoma. Atualmente, muito se fala em Depressão, TOC (Transtorno obsessivo compulsivo), Síndrome do Pânico, TDAH (Transtorno do Déficit de Atenção  com Hiperatividade), Bipolaridade entre outros. Esses termos quando mal empregados geram uma angústia tamanha nos pacientes.

Recebemos no consultório pacientes que veem encaminhados de Médicos Psiquiatras, Escolas, Empresas e Ambulatórios.  Bem como, recebemos pacientes que por acreditarem que algo não está bem, nos procuram afim de poder nomear essa queixa.

Nossa atuação é orientada pela Psicanálise, neste sentido, trabalhamos com a noção de inconsciente – conceito desenvolvido por Freud. Deste modo, realizamos a terapia baseada na palavra, ou seja, possibilitar ao sujeito falar do seu sofrimento. A prática clínica baseia-se em fazer o paciente contar sobre quem ele pensa que é e como ele se apresenta para si e para quem o escuta.

Portanto, o trabalho consiste em auxiliar o paciente na busca de desenvolvimento, amenizar sofrimentos, angústias e sintomas. Esse trabalho em geral é realizado em sessões semanais, pré-agendadas de aproximadamente 1h.

Os honorários são pagos a analista sempre ao término de cada sessão. A questão dos honorários é sempre discutida com os pacientes, em geral no primeiro encontro e pode ser negociada de acordo com cada caso.

Você pode solicitar uma consulta através do contato.

Social Widgets powered by AB-WebLog.com.